sábado, março 17, 2007

O Brasão de Coimbra


Inicio hoje a minha colaboração neste blogue que tem como tema a cidade onde nasci, cresci, estudei, me licenciei e onde presentemente resido e trabalho.
É difícil escrever sobre algo de que se gosta muito, pois o povo, na sua imensa sabedoria, costuma dizer que "Quem feio ama, bonito lhe parece". Não me parece, de todo, ser esse o caso de Coimbra que é reconhecidamente um das mais bonitas cidades que conheço e são muitas.
Começo pois pelas Armas da nossa Lusa-Atenas.
O Brasão da nossa cidade representa uma mulher jovem coroada, como que a sair de um cálice, tendo do lado direito um leão de ouro e do lado esquerdo um dragão verde (no original).
Quando se pergunta à maioria dos conimbricenses quem é a donzela representada, não anda longe dos 100% as repostas afirmando tratar-se da Rainha Santa Isabel, Padroeira da cidade de Coimbra. Tal, porém, não corresponde à verdade.
Segundo uma lenda contada por Frei Bernardo de Brito, o emblema da cidade teria a seguinte explicação:
O rei bárbaro dos Alanos, Ataces, que usava na bandeira um leão dourado, veio, com o seu exército, e destruiu a cidade de Conímbriga, governada por Hermenerico, rei dos Suevos, que tinha como emblema a serpente verde. Depois disso, resolveu construir uma nova cidade nas margens do Mondego, a actual Coimbra. Hermenerico decidiu vingar-se e veio dar luta a Ataces, mas foi novamente vencido e, para obter a paz, consentiu no casamento da sua filha, a Princesa Cindazunda, com o antigo inimigo, Ataces. A história acaba assim com um casamento feliz, tendo Ataces oferecido à cidade nascente o brasão que ainda hoje se mantém.
O Brasão apresenta então, no meio a Princesa Cindazunda, o cálice simboliza o casamento, o leão dourado, o rei Ataces e o dragão verde, o rei Hermenerico.

As actuais armas da Cidade de Coimbra estão definidas pela Portaria nº 6959, de 14 de Novembro de 1930, que diz textualmente:
"Tendo em vista o parecer da Secção Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses e atendendo ao que representou a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Coimbra: manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Interior, que a constituição heráldica das armas daquele município seja a seguinte: "De vermelho com uma taça de ouro realçada de púrpura, acompanhada de uma serpe alada e um leão batalhantes, ambos de ouro e lampassados de púrpura. Em chefe um busto de mulher, coroada de ouro, vestida de púrpura e com manto de prata, acompanhada por dois escudetes antigos das quinas. Colar da Torre e Espada. Bandeira com um metro quadrado, quarteada de amarelo e de púrpura. Listel branco com letras pretas. Lança e haste de ouro."

Duas curiosidades à laia de conclusão
1ª- Na fachada da Câmara Municipal de Coimbra (2ª imagem) é possível ver o brasão com a particularidade de este se encontrar invertido, o leão à esquerda (simbolizando o rei Ataces) e o dragão à direita (simbolizando o rei Hermenerico). Talvez seja por ter sido esculpido em Lisboa. 2ª - Com um brasão tão bonito, para quê gastar tanto dinheiro para arranjar outro símbolo, para determinados serviços camarários, que, como sabemos, depois de estudos apurados e de muito dinheiro dos contribuintes gasto, resultou numa circunferência cortada, que hoje se vê por aí nos autocarros dos serviços municipalizados e em tudo o que é documento camarário.

A imagem com o brasão foi retirada do site:

7 Comments:

Blogger GK said...

O símbolo que se vê nos autocarros, etc. é precisamente representativo da serpente, que na cultura judaico-cristã se refere ao conhecimento: "o homem tentado pela serpente comeu o fruto da árvore do conhecimento". Assim, o símbolo foi desenvolvido na sequência da presença da serpente no brasão da cidade, da imagem de Coimbra como "cidade do conhecimento" e também da presença da serpente enrolada no segundo selo da cidade de que há memória.

12:30 da manhã, março 18, 2007  
Blogger Luis said...

http://estacaoterminal.blogspot.com/2006/12/coimbra2006.html

é pena não autorizarem "comentários anónimos"...

10:28 da manhã, março 19, 2007  
Blogger SoNosCredita said...

obrigada pela contribuição! :)

11:26 da manhã, março 22, 2007  
Blogger Maria said...

e uma linda cidade:)conheco...e traz saudade a mistura.beijocas

12:09 da manhã, março 24, 2007  
Blogger Pepe Luigi said...

É incrivel! Mas é a pura das verdades. Pouco conheço de Coimbra.
É curioso, apesar dos meus 61 anos, nunca me deu para passar um dia ou dois na cidade dos estudantes.
Porém o teu texto abriu-me o apetite para uma cruza à terceira cidade do país.

Um abraço amigo
do Pepe.

11:43 da tarde, março 28, 2007  
Blogger Lúc poems said...

Coimbra é uma licão de Sonho e TRadição... Coimbra é uma mulher, só passa quem souber e aprende-se a dizer saudade :)
O milagre das Rosas é muito conhecido e é natural que tenham identificado a rainha Santa Isabel em vez da outra moça, como vínculo que ela tem com a cidade. Gostei muito de conhecer as ruínas de Conimbriga. Imaginei de início como seria viver naquela altura naquelas casas pequenissimas e de pedra... aquilo soou-me tão estranho... outros tempos que são interessantes, mas ainda bem que se evoluíu! sem dúvida...! Fiquei aqui a saber mais desta bela cidade que me é muito familiar. Fique bem :)

11:18 da tarde, março 29, 2007  
Blogger aminhapele said...

Bom início Tózé.
Vai ter mais um "visitante".
Boa Páscoa.
Um abraço.

12:33 da manhã, abril 08, 2007  

Enviar um comentário

<< Home